terça-feira, 6 de julho de 2010

Dilma Roussef nega interferência na troca do programa de governo

A candidata do PT à presidência da República, Dilma Roussef, disse que a troca de seu programa de governo no TSE, ontem à noite, não passou de um equívoco. Os candidatos deveriam protocolar um resumo do que pretendem fazer durante o mandato. A equipe de Dilma entregou uma papelada bem comunistinha, com taxação de grandes fortunas, controle da imprensa e a relativização da propriedade privada no campo, e depois trocou por um negócio mais fofo, para acalmar o Reinaldo Azevedo.

"Ocê veja bem... Tão querendo ver coisa onde não tem... Porque o presidente Lula já me disse que é assim mesmo...", explicou Dilma. Depois de uma pausa de dois minutos olhando para o vazio, ela continuou. "A coisa, ocê tem que entender, que é complicada... A gente fez um programa de governo, o presidente Lula e eu, que pode contemplar todo mundo, a coisa toda... Então acaba dando essas confusão aí... Tipo me chamar de presidenta", completou a ex-ministra da Casa Civil.

O assessor de imprensa Laércio Portela, após chorar por cinco minutos e quebrar uma mesa com um soco, afirmou que o que Dilma quis dizer foi que ela não teve não nada a ver com isso, que foi apenas um erro. Em off*, ele ainda contou que, na verdade, num primeiro momento havia sido entregue um dossiê sobre as atividades ilícitas da netinha de José Serra no colégio, como tráfico de giz de cera e tintas guache, mas que logo a troca foi feita e o TSE recebeu o programa de governo. E mais tarde, o outro. O dossiê, por outro lado, ficou para o segundo turno.

Dilma acabou ouvindo e se manifestou. "Olha, é isso aí mesmo... Por que, na verdade, a coisa toda é do Presidente Lula e eu tava lá, menos o que é ruim... Ocê tem que entender, que o pessoal de antes, do governo anterior, não tinha o Lula, e a gente mudou isso... E eu nem sei qual é o programa de governo ainda, o presidente Lula que vai me dizer...", disse a candidata, até lembrar que não dá entrevistas e encerrar o assunto. Portela deu um soco numa porta e acabou quebrando um dedo.

*O LARANJAS não respeita declarações em off por ser um blog de notícias falsas e de jornalismo cretino e falacioso.

Um comentário:

Verônica Lemus disse...

nada acalma Reinaldo Azevedo. a não ser, talvez, um Lexotan.