sábado, 10 de novembro de 2007

Todas as forças a Catatau

Já não bastasse o sumiço do cachorro Toalha, a UFSC agora corre o risco de perder um de seus mais famosos mascotes. Hoje, enquanto corria por entre as dezenas de pessoas que circulavam a frente do Centro de Comunicação e Expressão, o cachorro Catatau, apelidado de galã, foi surpreendido por uma moto que vinha em sua direção. O atropelamento aconteceu às 1h45min da manhã. O motoqueiro não sofreu nenhuma perda, mas levou um grande susto. Em entrevista, Jorge Carl Popov disse “O meu maior medo foi ser linchado. A grande sorte é que a mobilização da comunidade ao redor foi de dar a atenção necessária para salvar aquela pobre vida e não divagaram sobre vingar o cachorro". Os seguranças da UFSC foram alertados do perigo de vida de Catatau e encaminharam o cão a especialistas.
Catatau, da raça Turnstin, começou a ser visto no Campus Universitário em Agosto de 2006, e já cativava todo o CCE, CCJ (Centro de Ciências Jurídicas), CTC (Centro Tecnológico) e CCB (Centro de Ciências Biológicas), além dos freqüentadores do PIDA e do Volantes. Pedro Mackenzie enfatizou “Os cães da raça Turnstin não são voláteis a esse tipo de acidente. Contanto que sintam a necessidade de estarem presentes para defender uma parte da sociedade eles sempre voltam. O problema é quando alguém os adota, e nunca mais são vistos. O povo para de falar neles e eles simplesmente desaparecem”.

2 comentários:

Carolina disse...

Pô, calourada... e essa crase?!

Tiago disse...

Hahahahahah
Presenciamos o exato momento em que o atropelador confessou!! Isso é que é ter faro jornalístico heim colega!!
=DDD
Ahhh, o cahorro toalha agora continua sua intermináevl missão de conseguir ser atropelado, lá no Space Food. Ele me falou que na UFSC o pessoal não anda colaborando muito com sua missão.
Abraços