domingo, 4 de novembro de 2007

O envelope!

Quando Jorge completou 18 anos estava ansioso com a visita de seu pai, que viajava fazia 6 meses. A campainha tocou e Jorge atendeu. Era o carteiro com um envelope endereçado a Jorge Fontoura Cardozzo, 18 anos, Rua das Palmeiras, 121. A curiosidade do garoto sempre foi sua maior virtude e seu mais saltado defeito.
Ele deixou de lado o envelope guardando-o junto com os outros presentes das suas tias e da sua mãe. Mas o fato de receber um envelope sem remetente o intrigara. Sue pai ligou dizendo que iria chegar apenas no outro dia, devido ao atraso no vôo. Ao chegar o fim do dia Jorge não se conteve. Pegou o envelope antes de qualquer outro presente. Ao abrir para sua surpresa havia um papel em branco, um cd e uma foto de um homem de aparentes 50 anos, que parecia ser seu pai. Na realidade ao olhar a foto por mais 2 segundos ele tomou um susto, eram seus traços.
O cd não funcionava em nenhum aparelho, nem no computador. Ao virar a parte brilhante verde do cd para cima ele viu o retrato daquele mesmo senhor da foto. Sim, a foto era dele, com quarenta anos. Impossível? Não pra quem estava vivenciando aquilo naquele momento. Num ato de curiosidade o jovem se olhou no espelho, e continuava jovem. Num ato de desespero, o jovem se olhou no cd, estava mais velho. Naquele momento ele sentiu todo o amor e afeição que um pai pode sentir por um filho. Era ali que ele entendia toda luta do pai em outro país, tentando um destino melhor. Pegou novamente a foto e confrontou-se de novo com seu “Eu - amanhã”. Aquilo tudo não fazia sentido. Cardozzo´s Imobiliary Company. Seria ele o próximo grande homem dos negócios imobiliários da América? Era o que dizia a foto.
De pobre romântico sonhador, a rico numa imagem sem sentido. A vida de Jorge poderia desandar naquele momento. Quando se sabe o futuro tudo se leva a enlouquecer. Mas não. Com serenidade o garoto simplesmente juntou tudo, colocou no envelope, Apagou dele o seu nome, colou um novo selo, e endereçou a Reginaldo Coelho Filho, ano de 1975. O envelope foi entregue!

Um comentário:

Maria Luiza disse...

uau que história intrigante :)

ahiauha

:*