sábado, 20 de junho de 2009

Cozinheiros protestam contra comparação idiota

A Ordem dos Cozinheiros do Brasil (OCB) divulgou hoje (20)uma carta-aberta de repúdio às comparações entre as profissões de chef de cozinha e jornalista. Para a classe, não só a sentença do ministro Gilmar Mendes, mas o debate presente na repercussão da decisão do STF são de conteúdo ofensivo. Na última quarta-feira (17), o ministro sentenciou a não obrigatoriedade do diploma para a prática da profissão de jornalista, comparando, em seu argumento, as duas profissões - entre outras besteiras.

No documento apresentado, a OCB considera ofensivas as comparações entre as duas profissões. Segundo o gourmet Claude Fontaine, autor da carta, nivelar a profissão milenar de cozinheiro com a de jornalista é denegrir a imagem do chef de cozinha e diminuir sua responsabilidade e relevância social. “Lead, pirâmide invertida, e outros conhecimentos jornalísticos podem ser aprendidos por qualquer um, e executados com facilidade. Mas preparar um bom Foie Gras com alcaparras, ou um Blanquette de veau, acertar o ponto de um filé de salmão grelhado, ou até mesmo selecionar boas trufas são serviços que não podem ser executados por amadores, e muito menos aprendidos em qualquer escola”.

O que mais ofende a classe dos gourmets não é exatamente a sentença do ministro, mas as reclamações dos estudantes de jornalismo. “Eles nem entraram no mercado de trabalho e acham que a profissão de jornalista é superior a todas as outras”, explica Fontaine. A OCB ainda não se posicionou na questão do diploma em si. Há uma reunião marcada para a próxima semana para decidir apoiar ou não a causa do diploma, mas até lá a entidade aguarda algum pedido de desculpas dos alvos da carta. A OCB também não irá acionar judicialmente os envolvidos.

2 comentários:

Diego disse...

hahahahahah. Muito bom!

Araeliz disse...

Acho muito mais importantes chefes com um curso superior do quê jornalistasinhas. Pós doutores em gastronomia nos Restaurantes Universitários, JÁ!